A Receita Federal abre nesta terça-feira a consulta ao terceiro lote de restituição do Imposto de Renda 2017

A Secretaria da Receita Federal informou que será liberada nesta terça-feira (08), a partir das 9h, a consulta ao terceiro lote do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) 2017, ano-base 2016. Esse lote também incluirá restituições residuais de 2008 a 2016.

Ao todo, serão pagos mais de R$ 2,8 bilhões para mais de 2 milhões de contribuintes. O dinheiro será depositado nas contas dos contribuintes em 15 de agosto. “Desse total, R$ 210.521.126,31 referem-se ao quantitativo de contribuintes de que trata o Art. 69-A da Lei nº 9.784/99, sendo 45.576 contribuintes idosos e 6.555 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave”, informou o Fisco. No RS, 118,8 mil contribuintes receberão um total de R$ 154,2 milhões.

Consulta

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve fazer a consulta no site da Receita. A consulta também pode ser feita pelo telefone 146. A Receita também oferece aplicativos para tablets e smartphones, que permitem a consulta às declarações do Imposto de Renda.

Pela página da Receita, o contribuinte também consegue acessar o extrato da declaração e verificar se foi para malha fina. Neste caso, o contribuinte pode fazer as correções necessárias e enviar uma declaração retificadora. O prazo para envio da declaração do IRPF 2017 terminou às 23h59min do dia 28 de abril. A Receita informou ter recebido 28.524.560 declarações.

Novo golpe

A Receita Federal alerta para uma nova modalidade de golpe. De acordo com o órgão, golpistas estão solicitando pelos correios, via correspondência, a atualização de dados cadastrais para aplicar golpes.

Segundo o Fisco, o site informado nas correspondências não tem nenhuma relação com o portal da Receita. “A Receita Federal não encaminha solicitação de dados bancários para contribuintes. Se o contribuinte necessitar atualizar essa documentação, ele deve procurar umas das unidades conveniadas como correios, Banco do Brasil ou Caixa Econômica e solicitar alterações de dados cadastrais ou atualização”, explica Luiza Maria Pinto, supervisora regional da Receita.

Cargas

Após a apreensão de 60 fuzis no Terminal de Cargas do Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio, em junho deste ano, a Receita Federal informou que refinou seu sistema de gerenciamento de riscos no setor, com a finalidade de rastrear cargas suspeitas.

Segundo o superintendente da Receita Federal no Rio, Marcus Vinicius Vidal Pontes, o órgão utiliza, inclusive, inteligência artificial. Informações sobre importadoras, exportadoras, sócios de empresas e logística de cargas são introduzidas no sistema, que cruza os dados e atribui graus de risco aos produtos. Se não houver indícios de ilegalidade, a carga passa pelo canal verde. Caso seja detectado algo de errado, ela fica parada no canal vermelho para ser escaneada.

Comentários