Integrante de facção Bala na Cara é condenado a 44 anos de prisão pelas mortes de sargento da BM e de filho do policial

Quarenta e quatro anos de prisão em regime fechado. Esta é a pena imposta pelo Tribunal do Júri da comarca de Alvorada, a Lucas Rodrigues de Souza, conhecido como “Mamute”.

Em 3 de abril de 2015 ele matou, com diversos disparos de arma de fogo, o sargento da BM (Brigada Militar) Milton de Pádua Martins, de 52 anos, e seu filho, Ismael Fidrigeski Martins, de 20. O crime ocorreu na rua Campos Verdes, no bairro Salomé. A condenação é por duplo homicídio triplamente qualificado.

Conforme o promotor de Justiça Marcelo Tubino Vieira, que fez a acusação em plenário e ofereceu a denúncia, Mamute integra a facção criminosa Bala na Cara e é considerado muito perigoso, uma vez que possui vários indiciamentos por assassinatos. No momento ele responde a dois processos judiciais por homicídio.

Após o crime, familiares das vítimas tiveram que trocar de residências. Ao ser indiciado pelas mortes, Mamute acabou se entregando no MP (Ministério Público) e encontra-se recolhido no sistema penitenciário.

De acordo com a denúncia do MP, o crime foi praticado por motivo torpe, uma vez que Mamute possuía desavenças com Ismael Fidrigeski Martins (filho do sargento), da época em que estavam internados na Fase, em razão do cometimento de atos infracionais.

Crime

Mamute chegou ao local do crime, na rua Campos Verdes, no bairro Salomé, em um veículo Sandero, juntamente com comparsas, por volta das 13h30min, daquela Sexta-Feira Santa. Os comparsas vigiaram o local e o criminosos ficou escondido atrás de um muro. Mamute disparou diversos tiros quando as vítimas apareceram em um Monza. Ainda segundo a denúncia, o crime foi praticado mediante emboscada e recurso que dificultou a defesa das vítimas.

Ao final do júri, o promotor de Justiça destacou que “foi fundamental a resolução do caso com as boas provas colhidas pela Polícia Civil e a interlocução permanente mantida pelo Ministério Público com as autoridades policiais”.

Comentários