Principal auxiliar do ministro Teori Zavascki na Operação Lava-Jato deixa o Supremo

O juiz Márcio Schiefler Fontes, braço direito do ministro Teori Zavascki na condução dos processos da Lava-Jato, vai deixar o STF (Supremo Tribunal Federal). Na terça-feira (31), ele pediu a dispensa da função de juiz auxiliar do gabinete de Teori. Embora tenha ponderado para o magistrado permanecer na atividade, a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, assinou a dispensa dele.

Schiefler estava cedido ao STF desde 2014, a pedido de Teori. Agora, deve retornar ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina. O motivo da saída não foi revelado. O próximo relator da Lava-Jato poderá requisitar a ajuda do juiz, se quiser. Caberá a Schiefler recusar ou aceitar o convite, se ele for feito.

Sem Schiefler cuidando do caso, o próximo relator dos processos poderá ter alguma dificuldade para tomar ciência de tudo. Isso porque o juiz cuidava da Lava-Jato desde as primeiras delações que chegaram ao STF. No tribunal, ele é tido como a pessoa que mais sabe sobre os processos. Schiefler era amigo de Teori e ficou muito abalado com a morte do ministro.

Comentários